Descrição

Com os avanços da automação em hematologia e a possibilidade da realização da contagem diferencial leucocitária pelos equipamentos hematológicos, uma questão sempre presente refere-se à necessidade ou não da revisão microscópica das lâminas de extensão sanguínea. Ou, mais especificamente, quais os critérios que o laboratório deve adotar como indicativos da necessidade dessa revisão?
O texto aqui apresentado, de autoria de Gen Gulati, Jinming Song, Alina Dulau Florea e Jerald Gong, publicado no Annals of Laboratory Medicine, aborda o assunto de maneira bastante prática e sugere diferentes maneiras de analisar o sangue à microscopia, dependendo das alterações reportadas pelo equipamento hematológico.