Responda as perguntas do Webinar Implementando a contagem de granulócitos imaturos – IG – No analisador XE-5000 da Sysmex e emita seu certificado.

Quais são as células incluídas na contagem automatizada de granulócitos imaturos (IG) realizada pelo instrumento XE-5000?
Em qual contagem de células estão incluídos os bastonetes no analisador XE-5000?
Qual é o significado clínico de desvio à esquerda?
O que significa que o desvio à esquerda pode ser causado por iatrogenia?
Na apresentação, qual é a estatística usada pelo autor para calcular os 95% de intervalo de confiança para a contagem diferencial em lâmina de sangue periférico?
Quais são os limitantes no momento de realizar a diferencial manual?
Que tecnologia utilizam os analisadores da série-XE da Sysmex para classificar os leucócitos?
Quantas células foram contadas nas diferenciais manuais realizadas nesse estudo?
Qual foi o ponto de corte para o intervalo de referência de IG no estudo mencionado nessa apresentação?
O que recomenda a CLSI sobre a quantidade de células que devem ser contadas para realização da diferencial manual?
A que valor foi reajustado o ponto de corte do intervalo de referência de IG após a realização de um pequeno estudo durante 4 semanas, alguns meses depois da implementação original?
Quais os fatores que influenciam na diminuição das revisões manuais no laboratório após a implementação da contagem automatizada de IG?
Para as lâminas com alguma discrepância entre a diferencial manual e a do instrumento, quais critérios de revisão foram utilizados?
O que significa que os microscopistas experientes fizeram as diferenciais manuais “às cegas”?
Além da citometria de fluxo fluorescente, qual o outro método que pode ser utilizado para identificar granulócitos imaturos em uma amostra de sangue periférico?